setor automobilístico
GEES
A realização de tais sistemas industriais tipicamente requer o agrupamento de habilidades de engenheiros de diversas especialidades diferentes. Na indústria automotiva, um projeto de um novo veículo representa em média uma carga de trabalho de 1500 homens-ano de trabalho de engenharia, distribuída ao longo de cerca de quatro anos, envolvendo orçamentos da ordem de alguns milhões de reais. Já sistemas como os de infraestrutura de comunicações se desdobram também ao longo de vários anos, envolvendo equipes de centenas de engenheiros e analistas, e orçamentos frequentemente ultrapassando as centenas de milhões de reais. A condução desse tipo de projeto torna-se muito mais difícil se a abordagem de engenharia empregada não considerar os sistemas em sua globalidade, com sua natureza de "sistemas industriais complexos". A "complexidade" desses sistemas industriais, embora seja perceptível de forma subjetiva e intuitiva, também corresponde a uma realidade industrial concreta: ela caracteriza os sistemas no domínio de sua concepção, de sua manutenção, e da evolução de seus problemas importantes, ligados ao número de tecnologias utilizadas, que levam a um conjunto difícil ou impossível de apreender pelo uso das técnicas mais antigas.

O setor automobilístico trata-se de outro setor industrial que hoje não pode dispensar a participação de Engenheiros de Sistemas. Antes da introdução das técnicas de Engenharia de Sistemas, o projeto de um novo modelo de automóvel chegava a exigir a confecção de algumas centenas de protótipos de carro, cada um a um custo de algumas centenas de milhares de reais. A integração dos diversos sistemas do veículo ocorria num processo dispendioso e demorado de aproximações sucessivas feitas com base nesses protótipos. Esse setor, no Brasil, vive hoje uma situação paradoxal. Nos últimos 20 anos, muito do trabalho de projeto de automóveis desenvolvido pelas empresas automobilísticas que operam no país foi trazido do exterior para cá. Carros que irão ser produzidos em plantas espalhadas pelo mundo vêm sendo, com frequência, projetados no Brasil. Isso decorre, em grande parte, do esforço que o país empreendeu nas últimas décadas, de fortalecer sua competência em Engenharia, o que resulta hoje na disponibilidade de pessoas de elevada capacitação profissional, geralmente do campo da Engenharia Mecânica, capazes de gerar ótimos projetos. Há 20 anos atrás tornou-se vantajoso, por esse motivo, transferir grande parte do setor de projeto, nessas empresas, do país de origem para o Brasil. Há, entretanto, o risco desse processo se inverter, devido à escassez de mão-de-obra especificamente formada em Engenharia de Sistemas no país.
novidades
Cadastre-se e receba novidades sobre o curso em seu e-mail
perguntas
A graduação em Engenharia de Sistemas possui um curso equivalente no exterior? Qual o grau de aceitação deste profissional...
A Engenharia de Sistemas é muito conhecida e difundida no exterior! Todas as grandes empresas sabem da necessidade do engenheiro de sistemas em...