>
>
Perguntas & Respostas
perguntas & respostas
Envie a sua pergunta!
Nome
Email
Pergunta
02/02/2016
De forma pratica, o q faz o eng. de sistemas?

Um robô móvel autônomo, um sistema híbrido de propulsão elétrica em um automóvel, uma visão sistemática na automação de operações de manufatura, o sistema de controle de voo por cabo elétrico em uma aeronave e sistemas de gestão de suporte avançado de design de produtos e manufatura dos mesmos são exemplos de sistemas. Esses, e todos os sistemas, são uma amálgama de elementos ou componentes que interagem, ou são independentes.

Em muitos casos, os sistemas no mundo real são uma combinação complexa de elementos, e, frequentemente, seus comportamentos são dinâmicos. Os engenheiros de sistemas trabalham na análise, design, envolvimento e operação de sistemas. Em contraste com os experts nas disciplinas tradicionais de engenharia, eles têm uma visão do todo de problemas complexos e propõem soluções tecnológicas, incluindo fatores relevantes desde o projeto até o consumidor final, e/ou todo o ciclo de vida do produto.

Muitos engenheiros de sistemas se engajarão na modelagem e técnicas analíticas, através das ferramentas computacionais, para tomadas de decisão e solução de problemas, e para refinar e testar novos conceitos de design. Muitos engenheiros de sistemas vão liderar um time de especialistas das disciplinas tradicionais de engenharia, trabalhando em equipe no gerenciamento de projetos envolvendo economia, relação entre o consumidor e o produto e considerações técnicas e humanas. Outros irão atuar como consultores técnicos para gerenciamento sênior, dando suporte na área de planejamento estratégico.

02/02/2016
Me formando nesse curso posso trabalhar desenvolvendo software?

Sim, as ferramentas aprendidas durante o curso de Engenharia de Sistemas te dão essa possibilidade.

02/02/2016
Qual a diferença de Engenharia de Sistemas para Engenharia de Software?

A diferença está no conceito de "sistema". Podemos entender sistema como um conjunto de elementos interconectados, de modo a formar um todo organizado e executar uma função específica. Com a chegada dos computadores, os sistemas passaram a agregar o software, mas ainda eram utilizados como ilhas isoladas. Em paralelo ao avanço da tecnologia da computação, os sistemas se tornaram mais intensivos em software e, interligados, evoluíram para os sistemas em rede. Mais tarde, assumiram novas dimensões, passaram a contemplar organizações e incorporaram a questão da governança. Chegamos, então, aos “sistemas de sistemas”, que realizam uma função maior do que a mera soma das funcionalidades dos subsistemas que o compõem.

Na sua definição clássica, Engenharia de Sistemas é um campo interdisciplinar da Engenharia que se concentra em como projetar e gerenciar sistemas complexos ao longo do seu ciclo de vida. É uma metodologia com abordagem multidisciplinar que, a partir das necessidades do ser humano, enquanto organização, permite o delineamento, a modelagem e a conceituação sistêmica de uma solução, a especificação de um projeto, resultando no desenvolvimento de um sistema real e operante. Existe ainda uma visão mais ampla, colocada pela United States Air Force Academy: “(...) a especialização em “systems engineering” não existe para formar engenheiros de sistemas, existe para garantir que os nossos futuros pilotos, os oficiais nos nossos centros de operação, e os decisores no campo de batalha, pensem em termos sistêmicos (...)”. Essa afirmação remete ao pensamento sistêmico, o grande diferencial de “systems engineering”. Contrapõe-se ao pensamento reducionista, que foca em problemas isolados, e leva em conta as interações e inter-relações de um sistema com o ambiente no qual está inserido. Assim, o pensamento sistêmico introduz um olhar holístico que nos leva a uma visão de “systems engineering”, vai muito além da visão técnica e tem como propósito dar suporte ao aprimoramento das organizações em que é aplicado.

Assim, podemos considerar que o conceito de “systems engineering” é fundamentado sobre três pilares: as ciências físicas, que envolvem a matéria e a energia; a ciência organizacional e social, que trata aspectos humanos, comportamentais, econômicos e organizacionais; e a ciência da informação e conhecimento, derivados dos dois primeiros. Aplicá-la significa atuar com uma visão holística sobre as necessidades, os sistemas e o ambiente onde estão inseridos, ou seja, aplicar o pensamento sistêmico.

Engenharia de Software é uma área da computação voltada à especificação, desenvolvimento e manutenção de sistemas de software, com aplicação de tecnologias e práticas de gerência de projetos e outras disciplinas, visando organização, produtividade e qualidade. Atualmente, essas tecnologias e práticas englobam linguagens de programação, banco de dados, ferramentas, plataformas, bibliotecas, padrões, processos e a questão da qualidade de software. Os fundamentos científicos para a engenharia de software envolvem o uso de modelos abstratos e precisos que permitem ao engenheiro especificar, projetar, implementar e manter sistemas de software, avaliando e garantindo suas qualidades. Além disso, a engenharia de software deve oferecer mecanismos para se planejar e gerenciar o processo de desenvolvimento de um sistema computacional.

01/02/2016
Estarei começando o curso de Engenharia de Sistemas esse ano, e gostaria de saber de que forma o engenheiro de sistemas pode atuar em uma empresa, por exemplo.

 Os engenheiros de sistemas trabalham na análise, design, envolvimento e operação de sistemas. Em contraste com os experts nas disciplinas tradicionais de engenharia, eles têm uma visão do todo de problemas complexos e propõem soluções tecnológicas, incluindo fatores relevantes desde o projeto até o consumidor final, e/ou todo o ciclo de vida do produto.

Muitos engenheiros de sistemas se engajarão na modelagem e técnicas analíticas, através das ferramentas computacionais, para tomadas de decisão e solução de problemas, e para refinar e testar novos conceitos de design. Muitos engenheiros de sistemas vão liderar um time de especialistas das disciplinas tradicionais de engenharia, trabalhando em equipe no gerenciamento de projetos envolvendo economia, relação entre o consumidor e o produto e considerações técnicas e humanas. Outros irão atuar como consultores técnicos para gerenciamento sênior, dando suporte na área de planejamento estratégico.

28/01/2016
Boa tarde,
Este curso é reconhecido pelo MEC e pelo CREA?
Obrigada!

Sim, obtivemos nota máxima no MEC, e somos reconhecidos pelo CREA.

novidades
Cadastre-se e receba novidades sobre o curso em seu e-mail
perguntas
Por favor,

Sou aluno de uma universidade pública de Lisboa, Portugal, do curso de Engenharia Informática e sou brasileiro...
Olá, Adriano! É possível sim. Você deve fazer o ENEM. As inscrições para o ENEM já se encerraram ...